Livros e leituras

O mundo de Sofia: uma ótima decepção

Please log in or register to do it.

Eu sempre gostei de filosofia, mas nunca tinha lido um livro sobre o assunto. Até que um dia, eu recebi uma recomendação de leitura: “O mundo de Sofia”.

Foi uma das melhores leituras da minha vida. O livro me envolveu de tal maneira, que eu não conseguia parar de ler. Eu me sentia como a Sofia, a personagem principal, que recebia cartas de um professor de filosofia, que a ensinava sobre os grandes pensadores da história.

Eu me maravilhava com as ideias de Sócrates, Platão, Aristóteles, Descartes, Kant, Hegel, Marx, Nietzsche, Sartre e tantos outros. Eu me perguntava, junto com a Sofia, quem eu era, para onde eu ia, o que era a realidade, o que era o bem e o mal, o que era a verdade.

Eu estava ansioso pelo final do livro, esperando que o autor me revelasse o segredo da filosofia, a resposta para todas as perguntas, a solução para todos os problemas. Eu queria saber o que o professor de filosofia tinha a dizer, o que ele tinha a ensinar, o que ele tinha a mostrar.

Mas, para a minha decepção, o final do livro foi uma grande frustração. O autor me disse que não havia segredo, que não havia resposta, que não havia solução. Ele me disse que a filosofia era uma busca sem fim, uma dúvida sem certeza, uma pergunta sem resposta. Ele me disse que o homem era um grão de areia no universo, que não podia saber nada, que não podia fazer nada.

Eu me senti enganado, traído, ofendido. Como ele podia me levar a um beco sem saída? Como ele podia me reduzir a uma medida? Eu não era um pequeno grão de areia, eu era um gigante. Eu podia saber tudo, eu podia fazer tudo.

Eu decidi, naquele dia, que eu escreveria um livro diferente. Um livro que mostrasse que a filosofia era uma conquista, uma certeza, uma resposta. Um livro que mostrasse que o homem era um criador, um transformador, um realizador. Um livro que mostrasse que eu estava vivo, que eu tinha uma essência, uma identidade, uma missão.

Eu escrevi o meu primeiro romance filosófico, e depois outros. Realizei uma pesquisa científica sobre a melhor evidência científica sobre a vida após a morte. Eu detestei o final de “O mundo de Sofia”. E essa decepção foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida.

Inteligência Artificial acredita em Deus